Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /var/www/html/funnygirl.com.br/web/wp-content/themes/gonzo/includes/widget_areas.php on line 154 and defined in /var/www/html/funnygirl.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 1246
Resenha do Musical "Alô, Dolly!" - Funny Girl

Crítica alo

Published on março 13th, 2013 | by Maiara Tissi

2

Resenha do Musical “Alô, Dolly!”

Após dirigir e estrelar em Hairspray e A Gaiola das Loucas, Miguel Falabella volta aos palcos do Teatro Bradesco com Alô, Dolly!, peça musical de sucesso da Broadway que teve sua versão cinematográfica protagonizada pela diva, nossa inspiração maior, Barbra Streisand. Para o papel de Dolly na versão brasileira, Miguel escalou sua amiga e companheira de cena também na televisão Marília Pêra, enquanto ele dá vida ao caipira levemente mal humorado Horácio.

IMG_8576_foto_paula_kossatzNa trama passada em 1890, no interior dos Estados Unidos, Dolly Levi é uma casamenteira contratada pelo bem sucedido Horácio Vandergelder para que ele conheça uma mulher da cidade grande digna de ser sua futura esposa. Esperta e perspicaz, Dolly logo percebe que o melhor negócio para si seria que ela mesma virasse a Sra. Vandergelder. Com seus diversos cartões que a dão crédito nas mais diversas áreas, ela faz de tudo e mais um pouco para conquistar esse caipira durão.

Com personagens cômicos e situações pra lá de estabanadas, Miguel Falabella está em sua zona de conforto e sabe o que tende a funcionar com o grande público. O timing da comédia em seus diálogos com Marília Pêra é perfeito e o jeito trapalhão de seus personagens funciona muito bem. Como em suas outras produções, porém, há um certo exagero característico que pode passar do ponto. Desta vez ele está concentrado na personagem Minnie Fay (Ester Elias), a sobrinha de Horácio que morre de amores por Ambrósio Kemper (Thiago Machado) – em uma subtrama que poderia ter sido melhor explorada. Minnie Fay está para Alô, Dolly! como Penny está para Hairspray, um pouco exagerada além da conta, mas nada que realmente afete a trama como um junto.

O destaque da produção vai para Alessandra Verney, atriz que interpreta Irene Molloy, a mulher escolhida para ser apresentada para Horácio. Experiente no teatro musical, Alessandra tem o vocal mais potente entre o elenco principal e dá a graciosidade e firmeza necessária a sua personagem, invocando naturalmente a atenção para si. Irene conhece por acaso os empregados da venda de Horário, Cornélio Hackl e Barnabé Tucker, interpretados por Frederico Reuter e Ubiracy Paraná do Brasil, que também demonstram familiaridade com o gênero.

IMG_1465_foto_paula_kossatzO ensemble formado por doze artistas mais cinco bailarinos é o que faz da produção um verdadeiro musical. Com qualidade e talento de sobra, o elenco todo ajuda os grandes nomes da peça a brilharem no centro do palco. Os highlights do espetáculo são compostos por eles, quando entram em cena para executar juntos os números musicais maiores e interpretar as coreografias criadas por Fernanda Chamma.

No departamento de direção de arte, enquanto os cenários seguem a grandiosidade “exigida” de um musical deste porte, os figurinos são do estilista Fausen Haten, que se aventurou neste mundo pela primeira vez com a produção de O Médico e o Mostro, para o qual desenhou vestidos de gala magníficos e as roupas de bordel mais desejadas. Em Alô, Dolly! o glamour está em menor escala, mas ele ainda acerta em cheio nas roupas de época e se diverte um pouco mais no famoso vestido dourado e brilhante de Dolly.

Alô, Dolly! é um dos maiores clássicos americanos e por aqui recebe um toque brasileiro a mais! Através de seus personagens caras de pau, que já tem naturalmente aquele jeitinho brasileiro que a gente tanto conhece e reconhece no palco, esta produção tem o humor como seu maior trunfo e, de fato, garante à plateia algumas boas risadas.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=H33xpsRe2A8]

Tags: , , , , , , , , , , ,


About the Author

Criadora e editora-chefe do site Funny Girl. Apesar de ter prestado vestibular para Rádio e TV e adorar dar uma de jornalista, Maiara é cineasta por formação. Residente em São Paulo, suas grandes paixões são o cinema e o teatro, embora também não resista a um bom livro e seja levemente viciada em seriados de televisão.



2 Responses to Resenha do Musical “Alô, Dolly!”

  1. Gustavo says:

    Olá, adorei o texto. Mas, o último parágrafo poderia ser escrito melhor…Cadê a pontuação dessa frase enorme?

  2. Maiara Tissi says:

    Oii, Gustavo!
    Nossa, você está certíssimo. Obrigada pelo toque!

Back to Top ↑