Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /var/www/html/funnygirl.com.br/web/wp-content/themes/gonzo/includes/widget_areas.php on line 154 and defined in /var/www/html/funnygirl.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 1246
Crítica: "O Mestre" - Funny Girl

Cinema mestre

Published on janeiro 20th, 2013 | by Maiara Tissi

2

Crítica: “O Mestre”

Texto escrito originalmente para o site CineSplendor.

original

O título deste esquecido pelo Oscar pode ser O Mestre, mas seu verdadeiro protagonista é o seguidor Freddie Quell, interpretado por Joaquin Phoenix, que se junta ao elenco ao lado de Philip Seymour Hoffman e Amy Adams, trio que dá vida e profundidade ao texto de Paul Thomas Anderson (Sangue Negro e Magnólia). Diretor e roteirista, Anderson desafia novamente o espectador com uma trama repleta de questionamentos filosóficos e personagens complexos.

O ano é 1950 e Quell é um alcoólatra perturbado pelo seu passado que vaga pela vida sem um destino ou companhia, até que encontra Lancaster Dodd, um estudioso que se auto intitula mestre e prega a existência de vidas passadas, a imortalidade da alma e pratica sessões de regressão. Pai de família, Lancaster acolhe Freddie e o inclui em seu grupo de seguidores, pelo qual ele começa a ser parte de testes e experiências envolvendo principalmente o subconsciente humano. Apesar de mostrar alguns flashes do passado de Quell como soldado e marinheiro do exército, não é contada a história de sua família e nenhuma explicação é dada sobre o motivo de seu comportamento desequilibrado. Assim como conhecemos a senhora Dodd, seus filhos e genro, mas nunca é dito nada sobre o início desta crença ou se há outras intenções por trás deste trabalho. Anderson se atém a filosofia pregada pelo personagem de Hoffman e a forte relação entre Quell e Lancaster, focando neste como um episódio ocorrido na vida destas duas pessoas.

master-02-largejpg-62dfcb040a638420Ator do método, estilo no qual os atores se absorvem no personagem, muitas vezes não o deixando nem ao sair das gravações e até provando de suas experiências, Joaquin Phoenix parece consumido por Quell desde sua aparência enfraquecida de ossos aparentes e pele fina até o sofrimento que deixa transparecer em seus olhos causado pelas memórias de seu personagem.

O Mestre não segue os rumos tradicionais de um roteiro cinematográfico, mas se sustenta por apresentar através de personagens cheios de camadas, uma discussão sobre a devoção humana, suas crenças no invisível e até onde as palavras de um orador convincente que oferece conforto e sabedoria pode nos levar.

Tags: , , , , , , , , ,


About the Author

Criadora e editora-chefe do site Funny Girl. Apesar de ter prestado vestibular para Rádio e TV e adorar dar uma de jornalista, Maiara é cineasta por formação. Residente em São Paulo, suas grandes paixões são o cinema e o teatro, embora também não resista a um bom livro e seja levemente viciada em seriados de televisão.



Back to Top ↑